segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Marcel Duchamp

Marcel Duchamp foi um artista que questionou através de seu trabalho o que é uma obra de arte e propôs um novo método para a sua realização: partindo de idéias, ao invés de partir de assuntos do cotidiano.
O fato é que Duchamp nunca foi um artista que atendia às expectativas da época.Começou a produzir no começo do século XX, e com o passar do tempo sua obra adquiriu características irônicas e contestadoras.
Tendo começado sua carreira como pintor, ele realizou obras que tinham características impressionistas, expressionistas e cubistas.




A obra de Duchamp conservou esse caráter questionador e insatisfeito com os padrões até o ponto em que Duchamp destruiu os padrões existentes até então. Ele fez um tipo de arte que não se enquadrava em nenhuma categoria. Os ready mades não são pintura, gravura e não são esculturas já que ele nem sequer os fez. Com esse ato, de designar um objeto fabricado em série como obra de arte, Duchamp expandiu os horizontes da arte contemporânea. Como disse Luiz Camillo Osório, professor de Estética e História da Arte na UFRJ, do Renascimento até Picasso as transformações artísticas se deram no interior de uma linguagem pictórica, de uma concepção histórica da forma e do objeto artístico. E a partir de Duchamp essa trajetória se alterou e tomou rumos que mudaram completamente a concepção de arte atual.



Os ready mades se tornaram o elemento de destaque da produção de Duchamp. Entre os mais famosos e irônicos, podemos citar a obra L.H.O.O.Q. (sigla que, lida em francês, assemelha-se ao som da frase “Elle a chaud au cul”, que, traduzida para o português, significa “Ela tem fogo no rabo”), que é uma reprodução da Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci, com um bigodinho.




o foco da criação artística da sociedade e seus problemas ou da representação fiel do modelo e coloca em questão o ato artístico.




De fato Duchamp tinha suas próprias questões, como o estudo dos problemas óticos. O estudo do olhar sobre a arte interessou muito a Duchamp, que se opunha àquilo que ele chamava de “arte retiniana”, ou seja, que agrada à vista, que foi feita para não incomodar, para satisfazer. Nesse sentido Duchamp o esforço de Duchamp era no sentido oposto, de levar o público a refletir a partir da confrontação com algo novo e inesperado. O objeto que era a obra de arte não tinha o propósito de ser alvo de uma contemplação, admiração, ele devia levar a uma reflexão, e essa reflexão era o objetivo da obra.



A base teórica do trabalho de Duchamp influenciou as gerações que o seguiram e foram fundamentais para a trajetória que a arte contemporânea seguiu, tornando-se propositiva e questionadora.
Movimentos artísticos como o Dadaísmo, o Surrealismo, o Expressionismo Abstrato e a Arte Conceitual foram muito influenciados por Duchamp. André Breton, artista surrealista, por várias vezes tentou fazer com que Duchamp aderisse à causa do movimento surrealista, Tristan Tzara, um dos responsáveis pelo Dadaísmo, também reconheceu na obra de Duchamp uma precursora.

17 comentários:

  1. Que coisa mais linda...
    Estou lendo um livro que fala um pouco sobre arte, mas que não se aprofunda muito, é muito bom ler um pouco sobre temas assim e sair um pouco da alienação em que nos colocamos.
    Belo texto, belo blog, belo enfoque.

    ResponderExcluir
  2. Adorei encontrar um blog que tenha foco nas artes, em em quem a faz, quem significa algo.

    Duchamp foi inteligente, viu o mundo novo consumidor de produtos e objetos, que não via a forma nem pensava o uso...e sacudiu tudo.

    Claro, ninguém entendeu.

    Depois, entenderam e com certeza temos na arte contemporânea um reflexo disso.

    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Brisante o trabalho dele né... já conhecia o trabalho deste grande artista... lógico que quase ninguem entendia a arte contemporanea que ele fazia...=P


    Visita ae qq hora:
    http://catalepsiaprodutiva.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Duchamp era reamente muito louco, e sua lucura subverteu a arte..... brilhante!

    ResponderExcluir
  5. Me desculpe, mas isso não é arte! É um arremedo grotesco, uma mistificação sem tamanho.

    CHINFRAS e TALS

    ResponderExcluir
  6. Adorei a primeira imagem!!!

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o seu blog, tambem faço arquitetura. Irei acessar mais vezes!

    ResponderExcluir
  8. Huumm, isso é interessante. Não sabia muito bem quem foi Duchamp.Agora sei!
    Pow essa Mona lisa bigoduda ai ta legal!
    RS

    ResponderExcluir
  9. Aprecio muito o trabalho de artistas como Duchamp. Dentro das vanguardas, artistas como ele modificaram a maneira de fazer arte, enxergar e pensar o mundo!

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante a postagem, na verdade eu só conhecia algumas poucas obras de Duchamp.
    É muito bom conhecer um blog com que se possa aprender algo.

    Já estou seguindo!

    ResponderExcluir
  11. Obriagado por retribuir a visita.





    Eu aluguei o metrô para as fotos.
    :)


    abraços

    ResponderExcluir
  12. TA bombando o blog hein Iago! =D
    Parabéns! Ta lindo!

    ResponderExcluir
  13. Grande estilo
    trabalho de grande artista

    (http://bacheaki.blogspot.com/)

    ResponderExcluir
  14. grande estilo
    trabaho de grande artista

    (http://bacheaki.blogspot.com/)

    ResponderExcluir

Obrigado!Thanx!Arigato!Merci!